Notícias

    Em anos excepcionalmente bem chuvosos, como este, o sertão do Ceará mostra também sua outra face | Foto: Maristela Crispim

    Abril é mês de muitas chuvas no nordeste brasileiro, época em que a Caatinga, vegetação típica da nossa região, está em seu pleno esplendor, vicejando verde e explodindo em flores. Em anos excepcionalmente bem chuvosos, como este, o sertão do Ceará mostra também sua outra face.

    A temperatura amena tão perto do sertão e o verde das árvores altas e densas ficaram guardados na memória | Foto: Maristela Crispim

    Por Antonio Rocha Magalhães
    Economista
    Ex-Secretário de Planejamento do Ceará
    Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

    Canindé / Mulungu – CE. Não apenas sou originário do sertão, mas sobretudo sou um produto do sertão. Aí cresci e me tornei gente, até emigrar para Fortaleza e seguir o meu caminho sem entretanto nunca desligar das origens. Acostumei-me com o sol e o calor do sertão, com a vegetação da Caatinga, com os caminhos tórridos que se tornavam brejos nos invernos rigorosos, como o de 1950.

    O poder e a peste

    Por que atacamos a dignidade daqueles que colocam em jogo a dimensão do cuidado ao próximo em nosso Estado?

    No começo do século XIX, o baiano Rodolfo Teófilo afirmava “Sou cearense, porque quero". Ao inventar a cajuína, que muitos pensam ter origem piauiense, o médico sanitarista que adotou o Ceará para sua luta e vida, conseguiria suavizar o travo do caju, adocicando-o, mas, os dias de hoje confirmam, não conseguira adoçar as elites cearenses que agora atacam as políticas de saúde do Estado, nominando-as de mentirosas, aproveitadoras e corruptas. Há uma peste no poder. Mas a linha do ódio não me interessa aqui repetir. O rosário [me perdoem o sacrilégio] de palavras produzida nos canteiros de obras do ódio é ilimitada, mas é certo: uma pá de cal é definitivamente colocada sobre a importância da vida do pobre.

    Gonzalo Oyarzún participa do Workshop Internacional Mediação: Uma Biblioteca para Hoje e para Todos
    Gonzalo Oyarzún participa do Workshop Internacional Mediação: Uma Biblioteca para Hoje e para Todos

    A biblioteca não é um artigo de luxo, mas uma instituição de primeira necessidade. Ela vai muito além dos livros, pode ajudar no desenvolvimento de sua comunidade e é ainda mais necessária atualmente por causa do excesso de informação. A opinião é de Gonzalo Oyarzún, professor e consultor chileno com um vasto currículo na área de bibliotecas públicas e um dos convidados do Workshop Internacional Mediação: Uma Biblioteca para Hoje e para Todos, que será realizado na quinta, 13, e sexta, 14, na Biblioteca de São Paulo, com organização do Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas de São Paulo.

     Por Nájila Cabral em ÁguaGovernos LocaisImpacto AmbientalMeio AmbienteSaneamento AmbientalSaúde Ambiental 

         Um dos importantes aspectos do saneamento é a água potável para abastecimento humano. Água é vida. A Agenda 2030 traz como Objetivo do Desenvolvimento Sustentável (ODS) 6, assegurar a disponibilidade e gestão sustentável de água e saneamento para todos. A meta nacional 6.1 é “até 2030, alcançar o acesso universal e equitativo à água para consumo humano, segura e acessível para todos”.

    © 2018 RM77.DESIGN. All Rights Reserved. Designed rm77.com.br
    Free Joomla! templates by AgeThemes