Notícias

    Isso mesmo. A Prefeitura Municipal de Tauá e a Fundação Bernardo Feitosa, convidam para a abertura oficial das comemorações do Centenário de Nascimento do ilustre ambientalista tauaense, Joaquim de Castro Feitosa (Dr. Feitosinha). De acordo com a prefeita Patrícia Aguiar (foto), a programação oficial será aberta nesta sexta-feira, 10, na Praça do Museu Regional dos Inhamuns. Neste primeiro momento, a população, familiares, autoridades e imprensa são convidados para o seguinte roteiro que começará logo às 5 horas, com alvorada festiva, seguindo-se a Santa Missa, às 6h30min e o café da manhã, às 7h30min, que será comunitário. Para o período da noite, às 19 horas, também na Praça do Museu Regional dos Inhamuns, acontecerá um Sarau Lítero-Musical e o lançamento do Catálogo do Museu já referenciado e o lançamento do cordel em homenagem ao Dr. Joaquim e Castro Feitosa. “Tauá e os Inhamuns devem muito a ele, que é conhecido nacionalmente por suas posições em defesa do Meio Ambiente, por suas palestras sobre o assunto e por seu acendrado amor à cultura regional. Era por todos considerado um sábio, mas um ser absolutamente simples e humilde”, disse aos nossos postos de comunicação no O Estado (impresso e internet), Política Especial, na Cidade AM 860 e no sistema www.avol.com.br a laureada prefeita tauaense Patrícia Aguiar. Outros eventos virão, informa o Núcleo de Comunicação da PMTauá, mas, a abertura oficial dos festejos do centenário do saudoso conterrâneo, têm apoio da Prefeitura, da Fundação Bernardo Feitosa, Museu Regional dos Inhamuns e Governo do Estado do Ceará, através da Secretaria de Cultura. Leia Mais...

    quarta-feira, 30 de novembro de 2016

    A história do ambientalista Joaquim de Castro Feitosa chega, hoje, ao município de Tauá, sua cidade natal. O livro "Um tributo a Joaquim de Castro Feitosa: 100 anos" será apresentado na Praça Regional do Museu dos Inhamuns, às 19h. Lançado pela Fundação Bernardo Feitosa, a publicação é da Imprensa Universitária, da Universidade Federal do Ceará (UFC).

    Organizado por sua filha, a geóloga Fátima Feitosa e Maria Salete Vale Farias, secretária da fundação, o livro reúne lembranças carinhosas de pessoas que conviveram com ele e, ao seu lado, lutaram pela defesa do meio ambiente. Leia Mais...

     

    Próxima etapa será audiência pública para a comunidade legitimar os cursos escolhidos.

    O Instituto Federal do Ceará, campus de Tauá, realizou na manhã desta quarta-feira (19 de novembro) o Fórum de Educação, para discutir com a sociedade a escolha e implantação de novos cursos no campus. A próxima etapa será a audiência pública a ser marcada com o reitor do IFCE e representantes políticos, para que a comunidade referende os cursos escolhidos.

    O evento apresentou os resultados da consulta promovida, nos dias 03 a 14 de novembro, para escolher os novos cursos. Foram colhidas aproximadamente duas mil enquetes físicas e pela plataforma web. Após a apresentação dos resultados da enquete, com os cursos técnicos e superiores mais votados em cada eixo tecnológico, iniciou-se o momento de discussão e escolha pelo público dos novos cursos a serem ofertados. Leia Mais...

    Link para original da matéria.

    Rio de Janeiro - Mais importante do que a capacidade de mudar o texto da Rio+20 é o estímulo às reflexões sobre as questões locais. Daí, os gestores estaduais de meio ambiente do Nordeste constituíram um fórum, para fortalea governança nas políticas voltadas ao Desenvolvimento Sustentável do bioma Caatinga, com a primeira reunião agendada para o início do segundo semestre em Mossoró (RN).

    Esses foram alguns dos destaques na fala de Paulo Henrique Lustosa, presidente do Conselho de Políticas e Gestão do Meio Ambiente do Estado do Ceará (Conpam), que apresentou, em nome de todos os gestores estaduais de meio ambiente do Nordeste, no fim da tarde de ontem, a Carta da Caatinga, no Parque dos Atletas, ao lado do Riocentro, onde se realiza a Rio + 20. Leia Mais...

    Link para original da matéria.

    Antigas casas marcam o início da colonização do Estado pelos Inhamuns, ainda no século XVIII, com a chegada da Família Feitosa na região. Algumas delas ainda resistem ao tempo. Outras, no entanto, estão completamente em ruínas.

    Após ser extinto como Município, há 39 anos, Cococi continua a despertar interesses de historiadores, paleontólogos e pessoas curiosas nos relatos da “cidada-fantasma”. Aos poucos, o mato invade os casarões antigos. Paredes não se sustentam mais à ação do tempo. No local, o catavento ainda continua erguido, mas não puxa água da mesma forma que antigamente. A praça da cidade mantém as cores vermelha e azul e a mesma estrutura, mas apenas os animais ocupam o espaço. A única igreja do local, iniciada em 1740 e concluída oito anos depois, ainda sedia a Festa da Padroeira do antigo município, Nossa Senhora da Conceição, em dezembro. Leia Mais...

    Link para original da matéria.

    Página 10 de 10

    © 2018 RM77.DESIGN. All Rights Reserved. Designed rm77.com.br
    Free Joomla! templates by AgeThemes