Iniciativas são premiadas por transformações sociais

    Brasília – DF. A Fundação Banco do Brasil e os parceiros do Prêmio de Tecnologia Social 2019 anunciaram, no dia 16, as iniciativas vencedoras deste ano. A cerimônia foi realizada em Brasília (DF), com a presença de 600 convidados, incluindo representantes da diretoria executiva do Banco do Brasil, entidades parceiras, finalistas do prêmio, representantes do governo federal, embaixadas e organismos internacionais.

    As tecnologias sociais foram desenvolvidas por organizações sociais, instituições de ensino e prefeituras, com a participação da comunidade e com grande potencial de promover transformações sociais.

    Das 24 iniciativas premiadas, seis são do Nordeste, de Alagoas, Ceará, Paraíba, Pernambuco e Sergipe:

    • Mulheres Protagonistas no Beneficiamento de Produtos Agroecológicos – Cooperativa Agropecuária de Alagoas – Flexeiras (AL)
    • Programa Educacional de Apoio ao Desenvolvimento Sustentável (PEADS) – Serviço de Tecnologia Alternativa – Ibimirim (PE)
    • O Algodão Agroecológico Gerando Renda e Conhecimento no Curimataú Paraibano – Associação de Apoio a Políticas de Melhoria da Qualidade de Vida, Meio Ambiente e Verticalização da Produção Familiar – Remígio (PB)
    • Algodão Agroecológico no Fortalecimento da Agricultura Familiar e Associativismo – Associação de Desenvolvimento Educacional e Cultural de Tauá – Tauá (CE)
    • Vamos enCURTAr essa história? – Erem Frei Orlando – Itambé (PE)
    • CLOC (Criatividade – Lógica – Oportunidade – Crescimento) – Instituto de Pesquisas em Tecnologia e Inovação – Santa Luzia do Itanhy – (SE)

     

     

    O ministro da Cidadania, Osmar Terra, agradeceu pela parceria na premiação especial Primeira Infância. “Estar aqui na companhia de todos vocês é muito importante. E quero dizer que a Fundação BB cumpre um papel importantíssimo, não só porque patrocina e premia tecnologias sociais, mas por ser um pivô de articulação das outras instituições que fazem um trabalho maravilhoso na área social. Aqui é uma celebração da solidariedade humana, da compaixão. E nós ainda temos uma longa trajetória para superar as dificuldades, a recessão, o desemprego, para chegar a um lugar melhor para todos”, declarou.

    “Acredito que todos aqui conhecem o Banco do Brasil. Não somos um banco social, mas somos um banco que tem metade do seu capital pertencente a acionistas privados, mas nem por isso ele deixa de observar a sua responsabilidade social, que se materializa em dois canais: os Centros Culturais Banco do Brasil (CCBBs) e a Fundação BB. Por meio de um, nós promovemos a cultura de diversas formas e com a Fundação BB, a nossa preocupação principal é com a inclusão social”, destacou Rubem Novaes, presidente do Banco do Brasil.

    O anfitrião do evento e presidente da Fundação BB, Asclepius Soares (Pepe), enfatizou como o prêmio tem sido importante para o desenvolvimento do País. “Estamos na décima edição do Prêmio Fundação BB, esse que talvez seja o maior do terceiro setor. E por que ele persiste há tanto tempo? Há mais de 18 anos? Porque a temática é importante. As tecnologias sociais têm seu valor. Elas provam que existem muitas maneiras de resolver problemas complexos, de maneiras simples, e um exemplo é o soro caseiro, as cisternas de placas implementadas no Semiárido brasileiro. E é por isso que a Tecnologia Social é apaixonante”, disse Pepe.

    Estiveram presentes também na cerimônia, Gabriela Rocha, gerente de comunicação do Instituto C&A; Gerson Wlaudimir Falcucci, diretor-presidente da Ativos S.A.; João Vagnes de Moura Silva, presidente da BB Tecnologia e Serviços, Daniela Arantes do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Maria Claudia Ferrari Castro, diretora do Departamento de Tecnologias e Programas de Desenvolvimento Sustentável e Sociais do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC); Carlos Arboleda, residente adjunto do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento no Brasil (PNUD); Márlova Jovchelovitch Noleto, representante da Unesco no Brasil; Gustavo Chianca, representante da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO); e a primeira dama do Brasil e presidente do Programa Nacional de Incentivo ao Voluntariado (Pátria Voluntária), Michelle Bolsonaro.

    © 2018 RM77.DESIGN. All Rights Reserved. Designed rm77.com.br
    Free Joomla! templates by AgeThemes